segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

“Pai nosso”

“Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus…” (Mateus 6.9)
CéuVocê já pensou no maravilhoso privilégio que temos de ter Deus como nosso “Pai”? Para os muçulmanos, Deus é instante, frio, implacável e exigente. E a Jihad, ou seja, a sua ”guerra santa”, matando cristãos e parentes que se convertem a Cristo, demonstra sua compreensão errada do Deus Criador. O coração deles fica cheio de ódio e pensam estar fazendo o bem ao eliminar os “infiéis”.
Ao contrário, Cristo nos ensinou o amor, baseado na compreensão do coração do Pai, quando disse: “Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos do vosso Pai celeste, porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos. Porque, se amardes os que vos amam, que recompensa tendes? Não fazem os publicanos também o mesmo? E, se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os gentios também o mesmo? Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste” (Mateus 5.44-47).
Jesus nos mostra a perfeição do Pai Celestial por meio desse atributo maravilhoso: o amor. João chega a nos dizer que “Deus é amor” (1 João 4.8). A essência de Deus é o amor. Amor que se dá. Amor que compreende. Amor que reparte. Amor que perdoa. Amor que “tudo sofre, tudo espera, tudo crê tudo suporta…” (1 Coríntios 13.7). Este Deus de amor é o nosso Pai Celeste.
Podemos, pois, nos achegar a Ele com total confiança e derramar o nosso coração em seu altar. Ele nos ouve e responde. Ele nos ensina e nos guia em Sua vontade que é boa, perfeita e agradável. Ele nos supre as necessidades em glória, por Cristo Jesus, nosso Senhor. Ele nos dá Sua paz, Seu Espírito Santo para habitar em nós e nos guiar no caminho a seguir. Ele nos prepara um futuro tão glorioso, como está escrito: “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam” (1 Coríntios 2.9).
Nosso relacionamento com Deus se faz por intermédio do amor que Ele mesmo derrama em nossos corações pelo Espírito Santo. E, assim, a presença maravilhosa do Senhor se manifesta em nossas vidas por meio desse amor que demonstramos por Ele e pelo próximo, ainda que este seja nosso inimigo.
Quando oramos dizendo “Pai nosso”, devemos ter a compreensão do caráter de nosso Deus e de que Ele ama a todos, indistintamente, e quer que nos amemos uns aos outros também.
Você está disposto a amar como Cristo amou, a ponto de dar a sua vida por nós? “Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos” (1 João 3.16).
Experimente orar dizendo “Pai nosso” em toda a profundidade dessa expressão, e sinta a natureza de Deus, cheia de amor, fluindo por meio de você e alcançando os corações ao seu redor.
Fotos: Internet
Crédito:Pra. Ângela Valadão Cintra

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Cinco regras para os solteiros


                                                       Cinco regras para os solteiros

solteiro

Cremos que Deus tem levantado uma nova geração. Uma geração que ama e tem prazer em agradar ao Pai, se santificando cada vez mais e vivendo os planos Dele em todas as áreas da vida. Hoje, queremos trazer cinco mandamentos para os solteiros que desejam trilhar uma bela jornada até o casamento:

1 – Não se envolva sentimentalmente antes de se envolver amistosamente

Um bom relacionamento pode começar por meio de uma bela amizade. Não se amolde ao padrão do mundo que diz que se é amigo (a) não serve para ser namorado (a). Isso é uma mentira, um engano do inimigo, pois no casamento, ser bons amigos é fundamental para a manutenção e edificação do relacionamento.

2 – Não se desespere

Acalme seu coração. Deus tem um plano específico para você. Não é porque suas amigas e amigos estão se casando que sua hora também chegou. Não é porque está chegando aos 30 que você está “velha (o)”. O desespero o desestabiliza e só o distancia do sonho de se casar!

3 – Não pense que estar solteiro é ruim

Por pior que seja o sentimento nessa fase, é extremamente e terrivelmente pior casar-se com a pessoa errada.

4 – Não idolatre o casamento

Deus preparou o casamento para que uma NOVA etapa se inicie na vida de ambos. Constituir, formar uma família é o plano de Deus para, a partir daí, realizar algo maravilhoso. Ou seja, o casamento não é o fim de tudo, mas o início de algo lindo e maravilhoso. Quando se idolatra o sonho de casar, a ideia que se tem é de que o casamento é tudo. Muitos se comportam assim, pensando que a linha de chegada da vida é o casamento. No entanto, é somente um ponto de virada para que ambos prossigam realizando o chamado de Deus e vivendo promessas preciosas Nele.

5 – Não deixe Deus de fora da sua solteirice

Nessa etapa da vida, você tem muito mais tempo para se dedicar às coisas do Senhor. A própria Escritura nos mostra claramente que enquanto solteiros devemos cuidar das coisas de Deus. Envolva-se nos ministérios, células e outros projetos que sua igreja local oferece. Ofereça sua solteirice ao Senhor e verá que é muito importante saber curtir essa fase da vida. Muitos, infelizmente, por não conhecer esses princípios, quando se casam, se dão conta de que não viveram uma vida de solteiro saudável e aí desejam partir para este erro: o de querer viver como solteiro estando casado.

Crédito Leandro Almeida