domingo, 13 de outubro de 2013

A Crise na Evangelização


A Igreja somente justifica a sua existência quando cumpre a sua obrigação missionária. No texto de Marcos16.15-16 temos o mandato missionário: E disse-lhes: Ide por todo mundo e pregai o evangelho a toda a criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.
Podemos esboçar este mandato da seguinte maneira:
  • A sua origem ou motivação: Jesus (E disse-lhes);
  • A quem se destina: a cada crente;
  • A sua natureza: ação (Ide);
  • A sua extensão geográfica: todo mundo;
  • O seu método: a pregação;
  • O seu público alvo: toda criatura (homem);
  • O seu propósito: a salvação ou condenação e a integração (Batismo).
Mas, se temos este mandato tão claro, por que não evangelizamos? Por que há tantos crentes que jamais ganharam uma alma pra Jesus? Estudemos o assunto

1. O QUE É EVANGELIZAR
Em primeiro lugar, precisamos mos­trar que evangelizar é algo simples. Evangelizar consiste simplesmente em pregar o Evangelho a outra pessoa.
Conforme Mateus 28.18-20, evangeli­zação é:
1.1. Ativa
A tradução do termo Ide em Mt 28.19 é tendo ido, ou seja, evangelizar é ir, sair em busca dos perdidos. Evangelização é ação (Mt 9.35).
1.2. Pregação do Evangelho
A ordem implica em convidar as pes­soas à fé e à submissão ao senhorio de Jesus Cristo. É a pregação da cruz de Cristo (GI2.16-21).
1.3. Transformação de vidas
O evangelho desafia as pessoas para o arrependimento ou a mudança de vida (At17.30).
1.4. Um discipulado contínuo
Quem se converte torna-se um testemunhas tanto em Jerusalém como em toda Judeia e Samaria e até aos con­fins da terra (At 1.8). Há na Bíblia uma conexão entre a vinda do Espírito Santo e a subsequente proclamação da palavra (Ez 11.5; At 6.3 e 8.10).

Hernandes D. Lopes falando sobre a importância da unção do Espírito Santo na vida dos pregadores afirma: Sem a presença, a obra, o poder e a unção do Espírito Santo a igreja será como um vale de ossos secos. Sem a obra do Espírito Santo não haverá pregação, não haverá pessoas convertidas e também não ha­verá crescimento saudável da igreja. A obra do Espírito Santo é tão importante quanto a obra da redenção que Cristo realizou na cruz. Somente o Espírito Santo pode aplicar a obra de Deus ao coração humano.
Todo crente tem o Espírito Santo (Ef 1.14). Logo, todo crente deve ser cheio do Espírito Santo (Ef 5.18).
É como diz Alexandre Duff: A Igreja que deixa de ser evangelística, em breve deixa de ser evangélica. Mas a Igreja sou eu e você. Se ela não evangeliza é porque eu não estou evangelizando. A responsabilidade é pessoal.
É o Espírito Santo quem faz a obra.
Sá Ele pode convencer e converter. Se ele não opera, não haverá conversão. Entretanto. ele o usará. É como disse Wesley: Dá-me cem homens que não amem ninguém mais do que a Deus e que não temam nada senão o pecado, e eles eu abalarei o mundo. Disponha-se e seja um homem de Deus! Oswald Smith, em seu livro o Clamor do Mundo, questiona: Por que a Igreja não tem sido eficaz na evangelização do mundo? 

Ele mesmo apresenta seis causas:
  • Por causa dos inimigos do Evangelho;
  • Por causa da nossa ênfase sobre a educação;
  • Por causa das portas fechadas;
  • Por não termos enviados um número suficiente de missionários;
  • Por não termos seguido os métodos do apóstolo Paulo;
  • Por não estarmos convencidos de que as pessoas estão perdidas.

Porque os crentes individualmente não estão cumprindo o seu papel ou a sua responsabilidade missionária.

A RESPONSIBILIDADE É NOSSA
A Ação Missionária de Jesus  Mt 9.35-38  
A Quem Enviarei? Is 6.1-11
Homens São Importantes    3.13-19
É Preciso Pregar  Rm 10.1-15
O Ministério da Reconciliação    2 Co 5.18-21
O Poder Necessário        At 2
A Ceifa e os Ceifeiros   Jo 4.31-42


                                               Pergunta para os dias de hoje?
1.      Qual a missão intransferível da Igreja?
2.      Qual o grande empecilho na reali­zação dessa missão?
3.      Qual o método divino para a evangelização?


Créditos: Arival Dias Cassimiro