sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Imperfeitos, mas unidos


“Um homem sozinho pode ser vencido, mas dois conseguem defender-se. Um cordão de três dobras não se rompe com facilidade” (Eclesiastes 4.12)

É fácil e conveniente andar com quem pensa e age da mesma forma que nós, porque nos dá uma falsa sensação de unidade. Porém, unidade não é uniformidade. Unidade é a comunhão que existe por causa de um mesmo fundamento, que é Jesus, e de um mesmo Espírito: o Espírito Santo de Deus.
Dentro do corpo de Cristo temos funções e lugares diferentes mas, todas as partes e funções são importantes, cada um tem um papel diferente a desempenhar. Ao contrário do pensamento corrente, ninguém é substituível, porque cada um de nós é um ser humano único. Somos muito diferentes, mas nos tornamos um por causa do cabeça que é Jesus, por causa do seu Reino e da sua justiça.
Numa época em que se propaga cada vez mais relacionamentos virtuais e superficiais, nem sempre as pessoas têm paciência e disposição para lidar com imperfeições, ou com essas diferenças que nos fazem únicos. É fácil tratar pessoas como descartáveis e relacionamentos como fast food. Por isso, é essencial que nos tornemos mais pacientes e maleáveis a fim de criar relacionamentos duradouros e saudáveis.
Juntos somos vitoriosos. Juntos cumprimos os propósitos de Deus. Juntos vamos mais longe. Não podemos desistir da igreja. Talvez a vejamos apenas como uma noiva imatura e incapaz por causa de seus erros. Mas Jesus a vê como amada, auxiliadora, herdeira do Reino, lavada, justificada e santa. Pelo poder do Espírito Santo, pela Palavra de Deus, ela estará pronta no grande dia do Senhor. Permaneça sendo igreja!