sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

A AÇÃO MAIS DOCE DA BIBLIA


COLOSSENSES 3:12-13
A convivência humana é quase impossível sem o uso do perdão".
(autor desconhecido)

Leia esta história. "Uma jovem de 17 anos apareceu em um programa de televisão para falar, diante do público, com um homem que 4 anos antes a havia espancado a ponto dela ficar irreconhecível, deixando-a quase morta. Ela havia sofrido 17 cirurgias e uma completa reconstrução facial. Ela disse ao homem: eu não o odeio. O que você me fez foi horrível, mas aprendi a perdoar. Tive de fazer isso para sobreviver."

Por que não é comum ouvirmos relatos como estes? Por que será tão difícil perdoar? Pelo fato de que o perdão exige renúncia de nosso senso de justiça. Dar a outra face (Lc 6:29), caminhar mais uma milha (Mt 5:41), são verdades que dificilmente vivenciamos, principalmente se quem nos ofendeu foi alguém que muito estimamos, como um(a) amigo(a), namorado(a), ou cônjuge. Aí perdoar torna-se mais difícil. Dizemos que até podemos perdoar, mas retornar à mesma amizade, confiança e relacionamento de antes, jamais.

A falta de perdão traz separação, afeta o corpo de Cristo, destrói lares e amizades. Muitas vezes preferimos guardar rancores e deixar que eles cresçam dentro de nós como tumores, em vez de liberarmos o perdão.

A palavra de Deus nos orienta claramente sobre este assunto. Somos ordenados a perdoar (Mc 11 :25), e quando não o fazemos, estamos pecando e precisando de perdão. Sendo o perdão algo tão difícil de ser colocado em prática, entretanto necessário, vamos entendê-lo melhor.


O QUE NÃO É PERDOAR 
(Equívocos sobre o perdão)
Queridos, você já deve ter ouvido aquela frase: "Quem perdoa, esquece", e tantas outras que nos fazem sentir fracassados. Vamos, então, definir o que não é perdão, para que estes equívocos sejam esclarecidos.

I. Perdoar não é esquecer
Como seria bom se fossemos como um computador, com uma tecla "delete", onde ao apertá-la tudo estaria apagado, esquecido da nossa mente. Perdoar não é esquecer, pois nem sempre é fácil esquecer. Isso seria cometer violência contra nossas faculdades racionais. Se de fato perdoamos, aquela lembrança não nos fará mal; com desejos de vingança, ira, ressentimentos ou rancores. Esquecimento não é perdão!

2. Perdoar não é fingir
Perdoar não é fingir ou fazer de conta que a ofensa não importou realmente. Importou, sim, e não adianta fingirmos o contrário! Ela é real, verdadeira, foi conosco, doeu, mas quando perdoamos a ofensa já não controla nossos comportamentos e aí estaremos livres de qualquer peso. Fingimento nunca foi perdão!

3. Perdoar não é uma questão de vontade ou sentimento
Perdoar é uma questão de obediência. É praticar aquilo que está expresso na Palavra de Deus. Sem questionar, ou duvidar; apenas obedecer, sabendo que Deus tem sempre o melhor para aqueles que escolhem o caminho do perdão (Lc 17:3-4).
Perdoar não é condicional, mas unilateral Nem sempre a pessoa ofendida apresentará a qualidade de arrependimento que desejamos. Por isso temos que estar preparados para não colocar condições para perdoar (Rm 5:8). Isso não pode ser perdão!

  •  Lembre-se: perdoar não é só "da boca para fora". Tem que ser genuíno - do coração.

O QUE NÃO É PERDOAR
(Verdades sobre o perdão)

Estando claro o que não é perdoar, vamos pensar no que é perdoar.
1. Perdoar é construir uma ponte entre o ofendido e o ofensor
Talvez você já tenha ouvido aquela expressão:
"Desta água eu nunca beberei"! O mesmo acontece com o perdão. Quando me recuso a perdoar, estarei deixando de andar pela ponte que um dia poderei precisar atravessar. Contudo, perdoar significa que a ofensa real, e horrível, não nos separará de nosso ofensor. Construa a ponte chamada perdão! 
Perdoar é oferecer a mesma qualidade de misericórdia que recebemos da parte de Deus (Mt 18:35)

2. O nosso padrão de perdão é o de Cristo. Entretanto, nós nem sonharíamos em perdoar as pessoas que Ele perdoou. Um perdão que foi estendido até mesmo àqueles que O crucificaram. Como é difícil ver a mesma qualidade de misericórdia que recebemos da parte de Deus, sendo oferecida a outras pessoas. Ofereça o genuíno perdão!

3. Perdoar é entender que o poder do amor, que nos mantém unidos, é maior do que o poder da ofensa, que nos tenta separar Quando perdoamos, liberamos nossos ofensores, de forma que eles já não estão presos a nós pelas suas ofensas. E assim poderão voltar a ter comunhão conosco.

4. Perdoar é seguir o exemplo do Mestre Jesus
Ao olhar para a vida do nosso Mestre, vemos que Ele tinha todos os motivos para não perdoar aqueles que O crucificaram. Mas não foi assim que Ele fez. O Seu exemplo de servo foi muito forte. Ele perdoou os que Lhe tinham perseguido, os malfeitores, os caluniadores, os Seus que O rejeitaram, os que O negaram.
• Lembre-se: perdoar é uma demonstração de força, não de fraqueza.


Passos para Perdoar
(Caminhando rumo ao perdão)
Se você deseja colocar em prática o perdão, eis aí algumas sugestões que lhe ajudarão:

1. Tome a iniciativa
Decida perdoar a quem o ofendeu. Será mais fácil se você mantém um bom relacionamento com Deus, pois trará na consciência o quanto Deus lhe perdoou. Não espere que o outro se arrependa; tome a iniciativa, como Jesus que morreu por nós enquanto éramos pecadores (e continuamos a ser, só que agora, pecadores salvos!).

2. Ore pelo seu ofensor e por você
Porque é praticamente impossível guardar rancor de alguém por quem oramos.

3. Desista do direito de reagir e de pagar na mesma moeda
Como já falamos perdoar é mostrar misericórdia. Então abandone o desejo de não esquecer a ofensa e engula o orgulho.

4. Obedeça a ordenança
Perdoe e ponto final. Às vezes achamos que a ofensa foi tão grave que a pessoa não merece ser perdoada. Contudo a Bíblia não nos autoriza ser juízes, mas ordena: perdoe. O que você fez para merecer o perdão de Jesus?

5. Seja longânime
Prossiga perdoando, mesmo depois de muitas ofensas (Mt 18:21-22). Mostre atitude perdoadora e disposição ilimitada de restaurar os relacionamentos.

6. Entenda que você também precisará de perdão
Não importa quão bom você se julga ser, um dia poderá ofender alguém e precisar que ele o perdoe.

Conclusão
Em Cristo todas as barreiras podem ser derrubadas, e na Sua cruz temos o exemplo maior de perdão. Vamos perdoar! Vamos levar a mensagem de perdão! Se a lembrança de uma pessoa ou de um nome nos traz desagrado ou desperta rancor, estendamos-lhe perdão total, incondicional, liberal, voluntário, verbal e constante.

Amados , que sejamos instrumentos de perdão para o mundo.

Meditação diária
Mateus
6:9 –15
Lucas
15:11 – 32
Mateus
18: 23 – 35
Marcos
11:20 – 26
Mateus
18: 21 – 22
Lucas
6: 37 – 38
Lucas
7: 41 – 50
  Em 2014 faça a diferença PERDOE O IMPERDOAVÉL