sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Medo e Depressão



Quando um crente percebe que está entrando em depressão, logo aparecem os "doutores" para dar receitas de cura. ou os "advogados" que montam os processos, geralmente contra o indivíduo. julgando as causas daquela situação. Na vida desse cristão começa a procura por pecados encobertos, a ânsia por uma fé gigantesca, e a busca desesperada por um momento de trégua daquela angústia tão profunda.

':As minhas lágrimas têm sido o meu alimento dia e noite. enquanto me dizem continuamente: O teu Deus. onde está?" (SI 42:3). Com certeza, não há nada que dificulte mais a cura do que a palavra de culpa que coloca em questão a qualidade da fé da pessoa. Tais palavras entram como pontadas no coração ferido.

Porém ... "Palavras agradáveis são como (avos de mel: doces para a alma e medicina para o corpo" (Pv 16:24). Não pretendo ser uma especialista no tema, escrevo apenas como alguém que enfrentou a doença DEPRESSÃO. passando pelos "doutores" e "advogados espirituais". Alguém que descobriu. nas palavras agradáveis de uma irmã em Cristo, que depressão é uma enfermidade. Jesus levou sobre Si [na cruz] •... pelas Suas pisaduras fui curada ... e tive minha alegria da salvação restaurada em Deus.

I Entendendo a depressão
" O Senhor vela pelo simples; achava-me prostrado, e Ele me salvou. "
(SI 116:6)

Podemos definir depressão como "uma tristeza profunda. melancolia involuntária, que coloca o indivíduo em estado de prostração emocional, paralisando a iniciativa para todo tipo de atividade. para tomada de decisões. com a perda de perspectivas para o amanhã" ("As minhas lágrimas têm sido o meu alimento de dia de noite ... " - SI 42:3).

A pessoa deprimida tem um desânimo acentuado por passar dias e noites da mesma forma, sem ter nada que lhe faça reagir a essa prostração emocional, alimentando-se de lágrimas e desesperanças, olhando para os outros e se achando único ("Olha à minha direita e vê, pois não há quem me reconheça, nenhum lugar de refúgio, ninguém que por mim se interesse" - SI 142:4).

Percebemos que quando definimos a depressão, o que realmente fazemos é listar seus sintomas, isso porque muitas vezes é simples identificar os sintomas da depressão, mas extremamente complexo concretizá -Ia ou defini - Ia de forma completa.

II - Causas da depressão
Devemos considerar que somos corpo, alma e espírito, e dessa forma pontuar que um problema físico pode causar um problema emocional, e vice-versa. Um problema espiritual também pode desencadear problemas físicos e emocionais. Enfim, reagimos às questões da vida de muitas maneiras, e a depressão pode ser uma delas.

Aproximadamente, 330 milhões de pessoas sofrem de depressão no mundo. No Brasil são mais de 10 milhões (Depressão e Graça, Judith Kemp, Editora Vida).
A seguir, algumas situações que podem levar o indivíduo a desenvolver os sintomas da depressão.

Algumas doenças: problemas relacionados com a glândula tireóide, hipoglicemia, alguns tipos de alergia, o período pré-menstrual para algumas mulheres, o período pós-parto para algumas mulheres.


Uso prolongado de alguns antibióticos e algumas medicações como quimioterapias e outras medicações.

Experiências de perdas de pessoas queridas.

Problemas de desajustes financeiros, falta de emprego, situações que fogemao controle e a incapacidade de resolvê Ias.

Rompimento de relacionamentos nos quais a dependência era muito forte.
Experiências amargas na infância (maus tratos, abusos físicos e verbais).

Uso de drogas.

Pecado não confessado, dureza de coração.

Alteração nos níveis de serotonina.

Essa substância existente no cérebro age diretamente no controle do humor e das sensações de bem-estar. Assim, eventos que provoquem alterações na concentração dessa substância no cérebro levam o indivíduo à depressão.

Desequilíbrio funcional dos neurotransmissores, que conduzem impulsos elétricos de uma célula para outra, causa falhas na recepção de informações no cérebro e suas respostas, podendo ter como resultado a depressão.
É claro que listamos algumas das muitas situações que podem levar os seres à depressão. É importante salientar que somos pessoas diferentes, que reagem distintamente às situações. Nosso organismo reage de forma variada em relação a medicações e enfermidades; assim, o nível de depressão ou seu surgimento varia de indivíduo para indivíduo.

Em relação ao pecado (afastamento de Deus), a Palavra nos mostra que a alegria da salvação e a paz que a comunhão com Deus nos traz é perdida: "Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia. Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio" (SI 32:3 e 4); "Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que era mau perante os teus olhos. Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; Restitui-me a alegria da tua salvação ... " (SI 51:4, 7e 12). Devemos observar que a Bíblia não usa o termo depressão. O que percebemos é como Deus cuidou das pessoas que apresentaram os sintomas dessa doença, mostrando a possibilidade de se retomar a esperança, a vontade de viver
III – Identificando a   depressão
    Podemos ler na Bíblia relatos da vidade pessoas que, por diferentes razões, enfrentaram tristezas profundas, tiveram seus momentos de desânimo, vontade de desistir, chegando a ponto de pedir a morte! Pessoas que nós admiramos por suas histórias de fé, mas que, como você e eu, estiveram sujeitas às angústias da vida e obtiveram de Deus o socorro bem presente. Vamos citar apenas três, mas suas experiências ensinarão como lidar com nossas limitações e a ajudar de maneira eficaz aqueles que sofrem à nossa volta.
I. Depressão por esgotamento físico, emocional e espiritual
Elias (I Rs 19: 1-18)
O profeta enfrentou situações tensas, fez uma obra maravilhosa no monte Carmelo, enfrentando sozinho 450 profetas de Baal.

Ali, Deus provou Seu poder, através da vida do profeta, e lendo os capítulos anteriores, vemos um homem de extraordinária fé.

Entretanto, uma ameaça somada ao cansaço físico levou Elias ao esgotamento, que trouxe depressão à sua vida (v.2-3) .

Elias fugiu, sem um amigo para dividir as cargas (v.3-4).

Perdeu a capacidade de reagir, prostrou-se e pediu para si a morte; não viu possibilidades para o futuro (v.4).

Em sua angústia, sentiu-se único naquela situação (v. 14).

Devemos tomar cuidado com os limites de nosso corpo, dividir as nossas cargas; o esgotamento pode nos levar a sérias enfermidades físicas e emocionais, e até aquele Elias que conhecia profundamente o poder de Deus experimentou essa angústia.
2.Depressão por problema físico Ana ( I Sm I: 1-18).

Ana experimentou uma tristeza profunda por seu problema de saúde que não lhe permitia engravidar (v.2 e 5), somado à pressão psicológica que sofria por parte da outra esposa de Elcana (v.6).

Ana tinha momentos de profunda tristeza, que se repetiam de ano em ano (v.3 ,7 e 8). Não lhe faltava o amor do marido nem a expressão de carinho especial dele (v.5), mas essa atitude tão bonita de Elcana não lhe aliviava o peso no coração. Então, no auge de sua dor, nem tinha forças nos lábios para expressar sua queixa diante de Deus (v. 1 O e 13).

O sacerdote Eli não compreendia a situação de Ana, por isso a julgou embriagada (v. 12, 13 e 14).

Muitos crentes não compreendem a depressão na vida do outro. Alguns acham que essa situação nem acontece na vida do cristão, e muitas vezes, como Eli fez no v.14, fazemos com nosso irmão, acentuando suas angústias, julgando duramente sua falta de iniciativa para sair da crise, sem conhecer suas razões, as causas dessa depressão.
       3. Depressão por causa do pecado Davi (2Sm 11: 1-13, 15 e 24; SI 32: 1-5).

Experimentou a tristeza por causa do pecado, pela transgressão da lei de Deus.

Davi teve chance de assumir seu erro, mas tentou encobri-Io (v.6-13), mas dessa forma se afundou ainda mais. Que noites terríveis deve ter vivido Davi com sua culpa, sua vergonha .

O profeta Natã foi usado por Deus para confrontá Io com o pecado. Somente perdão pôde restituir sua alegria e a paz que vem da comunhão com Deus

I V - Depressão e o tratamento de Deus

Na vida de Elias, vemos Deus cuidando de seu físico, deixando-o dormir, mandando alimento (I Rs 19:5-8). Precisamos cuidar do nosso físico, verificando se não há excesso de trabalho, poucas horas de sono que estejam provocando uma reação depressiva, um esgotamento de nossas forças físicas, mentais e espirituais.

Deus tratou a vida emocional de Elias, ouvindo suas queixas (v.13-14). O primeiro passo para se ajudar alguém é ouvir o que essa pessoa tem para desabafar, deixar que ela expresse suas frustrações e ansiedades. É ao lado de alguém que sabe nos ouvir que gostamos de estar em nossas angústias, por isso precisamos saber ouvir.

Deus deu novas expectativas para seu ministério (v. 15) e lhe resgatou a bênção, a esperança, revelando uma nova realidade (v. 18). A depressão nos faz pensar que não temos condições de continuar, não vemos razão nem valor em nosso trabalho secular, em nossos ministérios da igreja e até em nossas famílias. Sentimos que estamos sozinhos em tal situação. Mas Deus pode nos fazer ver uma outra realidade. Ele pode e quer resgatar nosso amor próprio, nossa identidade no Corpo de Cristo, e nos fazer caminhar.

Na vida de Ana, depois que o sacerdote ouviu a razão de sua angústia e passou a conhecer o motivo daquela situação, Deus o usou para dar a ela uma palavra que abençoou seu coração e lhe restaurou a esperança (v. 17-18). Esse momento faz-nos lembrar de Provérbios 16:24.

Ana estava no templo, ali foi alcançada e abençoada por Deus. A Casa de Deus é o melhor lugar para se estar e receber Sua Palavra, que é viva e verdadeira, que cura e enova as nossas forças. Na Casa de Deus, Ana derramou seu coração e foi abençoada.

O versículo 18 traz uma frase linda ..... e o seu semblante já não era triste".

Davi tomou uma atitude de arrependimento e confissão diante de Deus (2Sm 12: 13). O perdão de Deus resgata nossa alegria, as acusações não nos perturbam mais porque "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça" (I Jo 1:9).

Deus usa nossa vida para abençoar os outros, para ajudar e sermos ajudados em momentos de enfermidades físicas, emocionais ou espirituais, mas somos limitados e não podemos assumir a responsabilidade completa por uma situação alheia. Paulo nos ensina, em Gálatas 6:2-5, que devemos levar "as cargas uns dos outros" e não os "fardos". Com certeza não seríamos capazes de suportar e caminharíamos para uma frustração por fracassar nos esforços.

Conclusão
Precisamos estar atentos, como bons mordomos do templo do Espírito, aos sinais de cansaço e esgotamento que muitas vezes se manifestam em nosso organismo, e considerarmos a necessidade de um descanso, uma melhor administração do tempo.

Caso esteja passando por essa situação, procure alguém temente a Deus para pedir ajuda, avalie as possíveis causas de sua depressão, procure um médico e faça os exames de rotina, se houver dúvida de sua condição física, mas não se afaste da Igreja, pois Deus tem todo poder da cura que começa pela alma rendida a Jesus. Caso conheça alguém em depressão, seja bênção nessa vida. Esteja ao lado para ouvir, orar, dar a "palavra agradável" que pode mudar a situação e trazer-lhe ânimo. Encoraje essa pessoa a procurar ajuda profissional, se houver condições e necessidade.

Valorize os profissionais cristãos da área de psicologia e saúde (por exemplo: Corpo de Psicólogos e Psiquiatras Cristãos - CPPC, (www.cppc.org.br). porque, além de terem conhecimento mais profundo das enfermidades, possuem uma formação que muitos de nós não temos, ainda conhecem Aquele que levou sobre Si todas as nossas enfermidades. Temos bons livros de profissionais cristãos que podem nos ajudar a conhecer melhor a depressão e, dessa forma, ajudar pessoas que necessitem, e até nos ajudar nos momentos de dificuldades.

" A minha alma está profundamente triste até a morte ... " (Mt 26:38). " ... EIi, Eli, lamá sabactâni? O que quer dizer: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?" (Mt 27:46). Esses são momentos de profunda angústia de Jesus. levando sobre Si nossos fardos e enfermidades, conforme Isaías 53. Ele conhece as angústias do ser humano porque as experimentou enquanto homem. Por isso, creia que o poder dEle pode curar enfermidades de qualquer natureza.